sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Amor do Pai


Ontem, dia 21 de fevereiro, por volta das 18h40, recebi talvez a notícia mais abençoada e impactante de toda a minha vida. Eu vou ser pai (risos). Eu e minha esposa estávamos planejando e o Senhor nos agraciou com esta dádiva tão especial. Ainda é muito cedo para dizer se é menino ou menina, mas desde já é consagrado ao Pai celestial.

Quando penso nesta criança os sentimentos mais puros e lindos me vêm ao coração. Sentimentos de um profundo e verdadeiro amor. Os desejos que tenho para este pequeno ser, que ainda está em formação, são abençoados e repletos de maravilhosos planos. Nesse tempo algo me ocorre. Alguns versículos da Palavra de Deus estão ganhando um peso especial para mim e sei que esse sentimento ainda vai se intensificar. Quando penso que “se vocês que são maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai celestial dará boas coisas aos que Lhe pedirem”, como isso ganha uma nova roupagem! E quando reflito em “assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que O temem”, me dou conta de quão grande são as misericórdias do nosso Pai.

Existe uma conferência anual na igreja Toronto Airport Christian Fellowship – TACF (aquela do avivamento), que se chama Father Love´s You ou O Pai te Ama. Milhares de pessoas do mundo inteiro participam dessa conferência para receberem essa verdade tão simples e ao mesmo tempo tão profunda e que deveria nortear nossas vidas e fé, simplesmente, o Pai nos ama. Ainda que não tenhamos o melhor referencial de paternidade aqui na terra ou mesmo, ainda que nosso pai tenha sido o melhor pai do mundo, a compreensão e constatação genuína do caráter do amor celestial é verdadeiramente libertador. Conhecer esse amor nos faz sentir aceitos como somos, acolhidos em Seus braços e aquecidos pela Sua ternura. Talvez por isso tantas pessoas visitem a conferência Father Love´s You, porque constatar e experimentar, nesse caso, é mais edificante do que meramente saber. É quando o amor que intelectualmente cremos desce ao coração.

Quantas vidas são curadas e libertas quando sinceramente se dão conta dessa realidade tão poderosa! O Pai nos ama! Deleite-se Nele hoje! “Agrada-te do Senhor e Ele satisfará os desejos do teu coração”! Ele tem prazer nos Seus filhos, porque foram gerados em amor, vieram do Seu coração. Enquanto escrevo essas palavras já posso dizer que sinto amor por esse pequenino ser que nem ainda pude ver. E pensar que “ainda que o meu pai e a minha mãe me abandonem, o Senhor me acolherá”... ou seja, ainda que em nós exista algum amor, nada, absolutamente nada, pode ser comparado ao amor que Deus tem por nós! “Nada nos separará do amor de Cristo Jesus”! Conhecer o Pai e o Seu amor verdadeiro nos fará também filhos avivados para Ele! “O amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito que nos foi concedido”. Portanto, receba hoje Seu amor! Em meio a esse turbilhão de sentimentos e a grata notícia de que serei pai e sob o mais incrível amor, o amor de Deus, o nosso Pai, escrevo e repito, receba o Seu amor e receba avivamento hoje!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Eu, senhor ou servo?


De uma maneira geral temos a tendência de querer estar no controle. Custa a nós o render-se, submeter-se, andar sobre as águas. Custa a nós retrair as mãos quando tudo parece estar indo bem enquanto a estendemos. Gostamos de dizer: “Senhor faça!”, “cure!”, “libere”, “realize”, e por aí vai... É bem verdade que somos despenseiros da graça e há autoridade no nome do Senhor para realizarmos grandes coisas, mas é bem verdade que o pré-requisito para que essas obras se realizem deve ser a intimidade e a rendição ao Espírito.

Conhecendo o Espírito, muitas vezes, evitamos o equívoco. Conhecendo Sua personalidade e que de fato Ele é Deus, passamos a nos submeter a Ele e não a ordená-lo. Um novo quebrantamento surgirá e uma unção fresca brotará, quando obedecemos a Ele ao invés de ordená-Lo, afinal, Ele não é, nunca foi e jamais será servo de ninguém, Ele é Senhor. Em alguns momentos da minha vida em que sinceramente buscava ao Senhor e experimentava algo de Sua graça, sentia-me encorajado a querer fazer grandes coisas para Deus. Gostava de ordenar a cura, ordenar libertação, praticamente ordenava ao Espírito: “Espírito Santo realiza!”, como se precisasse ensiná-lo como agir. Nessas ocasiões poucas coisas realmente aconteciam. Com o passar do tempo e, sobretudo com o aumento da intimidade, fui conhecendo mais e mais de Sua Pessoa. O Espírito é de fato Deus Todo-Poderoso. Se queremos ver Sua obra devemos antes conhecê-Lo, até que possamos ouvi-Lo e obedecê-Lo. Depois disso chegarão dias em que você se sentirá ‘tentado’ a realizar coisas, mas, precisamente nesse dia, você deve se render e perguntar: “Espírito Santo, devo fazer alguma coisa?”, “O Senhor quer que eu recolha a minha mão?”. Para nossa surpresa em muitas ocasiões não temos que fazer nada e também nada acontecerá, é quando Ele nos ensina a perseverar em dependência e obediência. Quando passamos dessa etapa, aos poucos, Ele poderá nos usar e nos falar diretamente: “agora”.

Exsitem etapas em nosso crescimento espiritual que nos levarão à intimidade. Passaremos a vida inteira buscando intimidade e rendição e mesmo toda a eternidade e, ainda assim, teremos mais por conhecer. O nosso Senhor Jesus nos deu o exemplo, Ele não veio ser servido, antes, veio servir: “Tende em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus...”. O poder reside na obediência, na rendição, em conhecer o Espírito intimamente e, querendo Ele, devemos estender ou recolher nossas mãos.

Que o Senhor te dê essa compreensão e que você alcance entendimento tal a ponto de você estar disposto a simplesmente render-se. Você descobrirá o óbvio. É Ele que tem o poder e é Ele que age. Somos meramente instrumentos. Lembre-se, não existem grandes e poderosos homens de Deus, não, e que ninguém te engane quanto a isso. O que existe são servos de um ‘graaaaaande’ Deus. “Porque Dele e por Ele e para Ele são todas as coisas...”. Coisas maravilhosas acontecerão em sua vida e através dela a medida que você O obedece. Renda-se a Ele hoje! Aviva-nos hoje, Senhor!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Avivamentos modernos III – Smithton


No ano seguinte o fogo pegou na cidade de Smithton, Missouri - EUA, uma cidade com uma população de apenas 532 pessoas. Steve Gray, o pastor da igreja Smithton Community Church, tinha passado tempos difíceis e estava abatido e desanimado, pensando até em sair do ministério. Como uma última esperança, ele resolveu tirar duas semanas de férias e visitar o avivamento de Brownsville. Quando ele voltou para sua pequena congregação, no dia 24 de março de 1996, o fogo caiu:


Daniel Gray, enquanto refletia naquela noite e os eventos gloriosos que a seguiram, disse, “Deus explodiu naquela pequena igreja e afogou a mentalidade Pentecostal tradicional dos seus membros no rio de poder e energia. Antes de qualquer um eu poderia entender o que acontecia, a igreja estava pulando literalmente! Não só uma figura de linguagem. A congregação inteira estava pulando para cima e para baixo ao louvor poderoso que tinha se levantado. Eventualmente as pessoas estavam caíndo no chão como se derrubadas por uma metralhadora poderosa do Espírito Santo. Eu me lembro que a minha família inteira estava lá, irmãs, cunhados, sobrinhas, sobrinhos e crianças que entraram juntos no rio. Novos tipos de orações, terminologia nova. ‘Mais Senhor, Mais Senhor' – ‘Fogo de Deus caia agora, agora, agora!' Era muito poderoso!”
Ron McGatlin - I Saw The Smithton Outpouring


Nos próximos quatro anos, mais de 250.000 mil pessoas, de todos os estados dos EUA e cinquenta países do exterior, tinham visitado aquela pequena igreja na roça. Muitas pessoas tiveram encontros poderosos com a pessoa do Espírito Santo, com muito quebrantamento, cura e manifestões de sua presença.
Em março de 2000 a igreja fechou na cidade de Smithton e se mudou para o metrópole de Kansas, onde o cultos de reavivamento recomeçaram em uma grande tenda em junho daquele ano. A igreja agora se chama a World Revival Church (a Igreja do Avivamento Mundial), e conta com uma escola de missões e uma rede de avivamento.

Avivamentos modernos II – Toronto (TACF)


Toronto, Canadá, Quinta feira, dia 20 de janeiro de 1994. Um grupo de aproximadamente 160 pessoas se reuniu em uma pequena igreja, a Toronto Airport Vineyard Christian Fellowship para ouvir um pastor dos EUA, Randy Clark. De repente a presença do Espírito Santo se manifestou poderosamente naquela sala, e o avivamento de maior duração dos tempos modernos começou.


"A primeira noite, 20 de janeiro de 1994, foi poderosa. Eu estava impressionado pela força com que o Senhor estava se movendo. Pessoas caíam ao chão e ficavam 'fora do ar' por um período longo, alguns por mais de uma hora. Outros começaram a rir e não podiam parar. Uma mulher que pareceu embriagada pelo Espírito Santo foi curada, e outras também."


"Na última noite das quatro agendadas, Deus veio com grande poder. Uma expectativa e alegria muito grandes tomavam conta do lugar. Eu estava impressionado com as pessoas se levantando e tentando falar e descobrindo que não podiam falar. Pessoas saíam dos encontros carregada, porque não podiam caminhar. Mais uma vez riso, choro, arrependimento, cura, pessoas caindo no chão, bençãos de paz e grande poder no culto."


"Eu estava impressionado com o número de adolescentes que estavam sendo tocados. Porque eu pensei que não podia pregar mais que dois sermões, sendo que um era meu testemunho, eu tinha levado comigo Bill Mares, meu pastor auxiliar que ensinava às crianças, para pregar duas vezes. Como Bill pregava para as crianças e jovens, Deus continuou a vir ainda mais sobre os jovens. Eles estavam chorando e sentindo o poder de Deus sobre seus corpos. A multidão continuava a crescer, eles estavam trazendo seus amigos, e estes se convertiam. Um jovem com mais ou menos 20 anos de idade teve sonhos sobre o juizo final que ficaram gravados em sua mente e ele veio aos encontros e rededicou sua vida ao Senhor."

Avivamentos modernos I – Brownsville (Pensacola)


No Dia dos Pais, Domingo, 18 de junho de 1995, o fogo caiu na igreja Brownsville Assembly of God, na cidade de Pensacola, Flórida - EUA. O pastor, John Kilpatrick, buscava avivamento há anos, e sua esposa tinha visitado o mover de Toronto. Naquele domingo de manhã um visitante, evangelista Steve Hill, pregou. Steve tinha experimentado uma renovação espiritual depois de receber oração na Inglaterra, de um pastor Anglicano que tinha recebido a "benção de Toronto".
Naquele culto de domingo de manhã, o poder do Espírito Santo se manifestou de tal forma que centenas de pessoas vieram à frente receber oração, e naquele dia um avivamento começou que durou por mais de cinco anos. Uma característica própria do "Avivamento de Brownsville" foi a ungida pregação evangelística de Steve Hill, que ficou na igreja até junho de 2000. Mais de 150.000 pessoas responderam aos apelos para salvação1. Anunciando sua saída da igreja em janeiro de 2004, John Kilpatrick disse que o avivamento recebeu 4,5 milhões de visitantes.
No seu livro "Feast of Fire" (Banquete de Fogo) escrito em novembro de 1995, John Kilpatrick descreveu o avivamento:


Com toda honestidade, eu realmente duvidava se o avivamento ia acontecer; e eu certamente nunca esperei que um avivamento desta magnitude acontecesse. Em poucas semanas uns 97.000 homens, mulheres, meninos, meninas, adolescentes, avós, amigos, vizinhos, colegas de trabalho e parentes visitaram nossos cultos noturnos pela primeira vez. Ate agora nós registramos mais de 10.000 conversões a Jesus Cristo. Eu fui surpreendido por ver que, apesar das minhas suspeitas e o meu ceticismo, Deus teve misericórdia de mim e eu sei, com os milhares de outros que fizeram parte deste grande banquete de fogo, que eu nunca serei o mesmo. Por que? Porque Deus nos visitou.
Cada noite quando eu entro no santuário da Assembléia de Deus de Brownsville na Rua West DeSoto, minhas emoções transbordam e minha mente fica pasma enquanto eu vejo os ombros de nossos meninos adolescentes, normalmente controlados e moderados, tremerem incontrolavelmente debaixo do poder sobrenatural de Jesus. Eu observo os homens de negócios ricos com seus ternos caros enquanto eles se ajoelham e choram. O Espírito Santo leva as palavras de perdão e graça faladas por nosso evangelista, Steve Hill, e dá paz e reconciliação a esses que estão preocupados e aflitos. Eu assisto mulheres de idade e jovens mães dançando no Senhor, crianças pequenas rindo e levantando as suas mãos no mais alto louvor. Os viciados em drogas e as prostitutas caem ao chão prostrados diante de Deus, enquanto eles confessam a esperança de Cristo pela primeira vez na sua vida.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Manifestações do Espírito nos avivamentos


Muitas vezes as pessoas tendem a dar uma ênfase exagerada às manifestações do Espírito durante os avivamentos. A finalidade central do avivamento é nos fazer olhar fixamente para Jesus com todo nosso ser, o que gera santificação (“sem a qual ninguém verá a Deus”), vidas são salvas e rendidas a Deus e, como conseqüência, o Espírito pode atuar cada vez mais em nós e através de nós. Contudo, não podemos, de forma alguma, interromper a ação do Espírito.

Certa vez pude contemplar um derramamento especial do Senhor em meio a alguns adolescentes. Eles estavam radiantes, orando em línguas, alguns caiam, outros tremiam e muitos se embriagavam. Foi quando, no meio desse mover, se levantaram alguns irmãos (alguns deles diáconos) e começaram a dizer veementemente: “ta bom, ta bom, já chega...”. Teve um diácono (entendo que o fez sinceramente em sua ignorância) que pegou um copo d’água e começou a passar água no rosto das irmãzinhas que estavam cheias do “vinho novo” e dar tapinhas nos seus rostos dizendo: “pronto, pronto, agora pára, amém, amém...”. Esse tipo de atitude é como se disséssemos ao Senhor que Ele não sabe como agir, que Ele não sabe a melhor maneira de nos visitar, de nos tocar. A Bíblia no ensina em I Co 12: 7 que a “manifestação do Espírito é dada a cada um visando um fim proveitoso”. Portanto, devemos crer que as manifestações, quando vêm Dele, devem ser respeitadas, afinal, Ele sabe o que faz.

Não podemos ignorar também que muitos avivamentos durante a história do cristianismo ficaram marcados por manifestações extravagantes. Homens como John Wesley, Charles Finney, Jonathan Edwards e tantos outros, presenciaram pessoas caírem sob o poder, tremerem, “riso santo”, falar em outras línguas, profetizar etc., etc. Alguns irmãos admiram muito a história de alguns desses homens, mas parecem ignorar que essas manifestações ocorreram vastamente em seus ministérios, basta que se pesquise em suas biografias. É bem verdade que muitos de nós oramos e clamamos a Deus que nos envie avivamento, mas queremos que Ele envie da nossa forma, segundo o nosso estilo “fashion”, da maneira em que nós o idealizamos, e não como Ele quer nos dar. Queremos também que venha no nosso tempo, ou quando julgarmos que é o tempo propício. Acontece que muitas manifestações extraordinárias do Espírito surgem em momentos inesperados, quando um povo realmente faminto e sedento se reúne humildemente e o Senhor simplesmente aparece. Na igreja Brownsville, em Pensacola (Flórida), aconteceu em um dia dos pais. Há quase dois mil anos aconteceu quando 120 pessoas esperavam pela “promessa” em um cenáculo e, nesse episódio, muitos críticos diziam dos irmãos: “estão embriagados”.

Portanto, meu amado irmão, se queremos um avivamento genuíno, devemos estar preparados para as críticas, o ceticismo, a incredulidade de muitas pessoas, inclusive irmãos na fé. Lembre-se, o foco é Jesus. Não devemos buscar as manifestações, mas não podemos também proibir que Ele atue em nossas vidas, ainda que de uma maneira inusitada. Estejamos abertos ao seu agir, afinal, ele sabe o que faz (I Co 12: 7). Aviva-nos hoje, Senhor!!!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Não mate a pomba



Certa vez li uma matéria na revista Spread the Fire que me tocou profundamente. Um certo pastor, homem abençoado e dedicado à obra de Deus, tinha compromisso em sua igreja no domingo pela manhã. No instante em que planejava sair de sua casa começou a perceber, com certa irritação, que seus filhos e esposa estavam se atrasando. O tempo passava e ele começou a se irritar mais quando, finalmente, todos entram no carro para enfim “servir a Deus”. Indignado, começou a discutir e argumentar duramente com sua família. Ao sair apressadamente com seu carro e no instante em que o arrancava surgiu inesperadamente em frente ao seu veículo uma pomba. Ele freou bruscamente e, naquele instante, ouviu nitidamente em seu espírito: “não mate a pomba”. Isso foi o suficiente para que o pastor se arrependesse pela sua ansiedade e grosseria, sobretudo, por ter ignorado quem já estava lá com eles antes mesmo de se iniciar o culto.

Todos nós sabemos qual é a simbologia da pomba na Palavra de Deus. Sabemos inclusive que a Bíblia nos adverte a não “apagar o Espírito” e também a “não entristecê-lo”.


Em primeiro lugar você não se entristece normalmente quando alguém desconhecido te chateia. Quando isso acontece você fica irritado. Mas quando alguém que você ama ou tem em alta estima te ofende, aí sim você se entristece. Quando a Bíblia diz “não entristeça o Espírito”, isso me diz que Ele pode ser entristecido por você, porque Ele te ama e tem você em alta estima! Que coisa maravilhosa! Você só pode entristecer o Espírito porque você é especial para Ele!


Em segundo lugar, “não apagar o Espírito” não quer dizer simplesmente que você pode jogar um balde de água fria sobre um fogueira, apagando o Espírito. O fogo pode se apagar tanto com a água, ato deliberado, mas, também, com a nossa negligência. Quando paramos de alimentar o fogo ele igualmente se apaga. O fogo se apaga quando deixamos de jogar graveto seco, combustível ou mais madeira. Essa é a omissão. Quando deixamos de orar, quando deixamos de ler a Bíblia, quando deixamos de viver em santidade, estamos apagando o Espírito. Apagar o Espírito é, portanto, tanto uma atitude quanto uma omissão. Não “mate a pomba” com sua apatia! Não “apague” o Espírito com a sua frieza! Alimente o fogo na sua vida com oração, jejum, leituras diárias da Palavra, evangelismo e uma vida de santidade.


Certa vez em oração, há aproximadamente 9 anos, ouvi o Espírito falar ao meu coração: “o avivamento seja pessoal e contínuo”. Isso me tocou profundamente. Independente do nosso “redor” siga buscando. Meu querido irmão, não espere pelos outros, seja avivado hoje em nome de Jesus para a glória de Deus! Não “mate a pomba”, antes, seja um instrumento de renovação e avivamento nesta geração! Receba avivamento hoje!!!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Oração contemplativa


Existe uma ferramenta poderosa que pode incrementar a sua vida de oração e vida espiritual. Você que ama o Senhor e quer ser usado por Ele sob Sua unção e com Seus dons e, sobretudo, para aqueles que querem experimentar mais da Sua presença, este assunto é destinado a você. Muitos de nós em nossa busca incessante pelo Senhor temos o hábito de orar bastante. São orações de intercessão, agradecimento, petições, entrega e etc. Mas, infelizmente, assim que oramos por todas as nossas necessidades e pelas necessidades dos outros ao nosso redor e mesmo pelas necessidades do mundo inteiro, simplesmente dizemos 'amém' e seguimos a nossa jornada diária. Não desmereço aqui o valor dessa oração, pelo contrário. Contudo, existe um passo adiante...

Existe um lugar em que poucos se atrevem a alcançar. Lá, precisamente quando seu coração está ‘queimando’ na presença de Deus, quando você terminou a sua oração ‘formal’ (‘burocrática’), é exatamente nesse instante que devemos nos calar e simplesmente contemplar a sua beleza. Muitos falam de níveis de oração. Alguns dizem que em um primeiro momento, quando começamos a orar, a nossa carne luta para permanecer em oração, mas, quando atingimos a dimensão do Espírito, torna-se difícil sair dela. Este é o início da oração contemplativa.

A oração contemplativa não substitui a formal, ela a complementa e te leva a lugares mais altos, à intimidade com Deus. A oração contemplativa consiste em simplesmente estar ali por estar ali. Não é o caso de pedir algo, é o caso de apenas estar com o coração no Senhor, simplesmente porque você o ama, por quem Ele é. Palavras algumas vezes tornam-se desnecessárias, ali, no santo lugar, onde Ele se revelará intimamente a você. Algumas pessoas tentam ficar em silêncio nesse momento e, após 5 minutos, se não ouvem nada simplesmente dizem ‘amém’, se levantam e partem para seu dia. Mas o Senhor procura aqueles que ficarão naquele lugar secreto por amor a Ele. Não pelo que Ele pode te dar, não pelo que Ele pode te falar, mas por quem Ele é!

De uma maneira prática funciona assim. Chegue à presença do Senhor com o coração quebrantado (Ele não o desprezará), peça perdão, misericórdia, clame pelo sangue... interceda pelas suas necessidades e as dos outros, entregue-se, interceda, adore a Ele... e assim que o seu ‘repertório’ terminar, caso seu coração estiver ‘queimando’, caso sua mente esteja concentrada na beleza e grandeza do Senhor, cale-se e simplesmente desfrute, em espírito, desse Deus maravilhoso. Passe ali cada vez mais tempo. Talvez seja bom colocar um louvor tranqüilo e ungido enquanto você ora. Agrade-se e alegre-se do Espírito. Você vai descobrir as delícias destina àqueles que gozam da intimidade Dele. Você terá, com o tempo, seus ouvidos espirituais abertos, e ouvirá Sua voz doce e gentil. Dons começarão a se manifestar, ainda que você não os peça.

A oração contemplativa é descrita na Palavra de Deus e mesmo por vários de seus servos ao longo dos séculos. É abordada em alguns livros do pastor Benny Hinn e é chamada, pela igreja Toronto Airport Christian Fellowship – TACF, de “soaking prayer” (oração de embebedamento), fazendo alusão ao processo em que o pepino, depois de ficar em uma conserva por vários dias (se embebedando), se transforma em um saboroso picles. Portanto, estar “soaking” (se embebedando) na presença Dele, em oração contemplativa, dará a você um novo e agradável sabor!

Martinho Lutero passou vários anos da sua vida clamando a Deus que o visitasse, que abrisse os céus e se revelasse a ele, e nada acontecia... até que um dia ele descobriu que tudo o que ele precisava já estava dentro dele. Lembre-se, “Deus é Espírito”. A oração contemplativa, durante abençoados minutos de silêncio, te fará voar nas asas do Espírito e você chegará ao alto monte onde conhecerá Deus face a face, à intimidade com Ele. Pesquise mais sobre esse assunto e, sobretudo, utilize essa ferramenta maravilhosa, você não pode nem imaginar o que Ele fará com você e de você, quando começar a voar nessa contemplação...

Hot Stuff



Caso você queira conhecer mais sobre os avivamentos modernos ou quem sabe encontrar material realmente ungido para ler e meditar, separei aqui alguns links que podem te edificar ricamente. A maioria dos sites está em inglês ou espanhol, porém alguns possuem versões em português (observar na parte superior dos sites). Enjoy it!



www.brownsville-revival.org/ – Site da igreja Brownsville, em Pensacola (Flórida). Esta igreja experimentou um dos maiores moveres das últimas décadas. Neste site você encontrará inúmeros vídeos de cultos realizados na igreja.
http://www.tacf.org/ – Site da Toronto Airport Christian Fellowship (Comunidade Cristã do Aeroporto de Toronto). Antiga igreja do movimento Vineyard, experimentou avivamento no início dos anos 90 conhecido mundialmente como “Toronto blessing” ou “bênção de Toronto”.
http://www.avivamiento.com/ – Site do Centro Mundial de Avivamento, na Colômbia. Em minha postagem anterior disponibilizei um vídeo sobre este avivamento.
http://www.revival.com/ – Site do avivalista sul-africano Rodney Howard-Browne. Clique em “videos on demand” e assista esse mover extravagante.
http://www.bennyhinn.org/ – Site do conhecido pastor/evangelista Benny Hinn. Esse site apresenta o programa diário “This is Your Day”. Vale à pena conferir.
http://www.fireonthealtar.com/ – Site pessoal que disponibiliza inúmeras compilações para download. São compilações de pregações de alguns avivalistas com músicas de ministérios ungidos. Vale à pena fazer o download de alguns deles e visitar a parte de vídeos (tem um documentário sobre a vida e ministério do avivalista Carlos Annacondia).
http://www.cfan.org/ – Site do avivalista Reinhard Bonke. Este homem de Deus tem sido usado para alcançar milhões na África. Com demonstrações de curas e libertações extraordinárias. Seu lema é: “Africa shall be saved!” (A África será salva!).
http://www.kathrynkuhlman.com/ – Site em memória desse instrumento que foi tão usado por Deus. Sua vida e ministério influenciaram e ainda influenciam pessoas em todo o mundo, como testemunha o pastor Benny Hinn.
WWW.jasonupton.net/com – Site do ministro de louvor e adoração profética Jason Upton.
http://www.extremeprophetic.com/ – Patrícia King fala sobre um vôo mais alto. Vale conferir os vídeos literalmente sobrenaturais.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Avivamento na Colômbia

Algo extraordinário está acontecendo no Centro Mundial de Avivamento, na Colômbia. Vale a pena parar alguns minutos e assistir este vídeo. Essa igreja, pastoreada pelo pastor Ricardo Rodríguez, tem experimentado do poder e graça do Senhor de uma forma sobrenatural, onde milhares e milhares têm sido salvos, curados e recebido gozo na presença do Espírito.

video

Você pode conhecer melhor este ministério acessando <http://www.avivamiento.com/>. Lá você encontrará pregações, matérias, rádios on-line e, em breve, videos das pregações.

Como isso começou pra mim



Eu tinha 18 anos quando meu tio, pastor de uma comunidade evangélica, me convidou para conhecer uma igreja na Patagônia argentina que estava experimentando avivamento.
Nasci e fui criado em uma igreja abençoada, amorosa, mas com poucas manifestações dos dons espirituais, o que para mim fez desta experiência no país vizinho um maravilhoso divisor de águas. Lá em Neuquén (Argentina) fui batizado com o Espírito Santo, pude ouvir diretamente o Espírito falar comigo, vi poderosos sinas de Deus, como uma senhora aceitar o Senhor Jesus e, sem que qualquer pessoa orasse por ela, fosse curada de cegueira! Vi uma irmã que foi conosco nessa viagem receber obturações de ouro e uma pedrinha brilhante no dente. Em uma noite ali no avivamento me lembro que fiz uma oração simples antes de dormir, pedi que o Senhor me despertasse no horário, pois precisava despertar cedo e naquela parte do mundo o sol surge mais tarde. Aconteceu que EXATAMENTE na hora em que eu precisava acordar ouvi uma doce voz, mais doce que a mais doce mamãe poderia chamar seu filho, dizer de forma cantada: “Leeaaannnndrooooo”. Uou! Isso foi tremendo, até hoje mal posso acreditar naquilo. Eu ainda perguntei à família nessa casa em que estava hospedado se alguém tinha me chamado, mas obviamente a resposta foi negativa... Resumindo, até porque não poderia escrever aqui a quantidade de experiências vividas ali, toda essa experiência gerou em mim fome e sede por avivamento. Quando perguntei a uma pastora lá na Argentina o que era o avivamento, ela me disse que para eles era uma sensação de que por mais que eles se esforçassem, ainda era muito pouco... E olha que eles evangelizavam fervorosamente até um raio de 100 km de onde estava a igreja, visitavam hospitais, intercediam por missões, jejuavam, faziam vigílias, oravam, oravam, oravam... e como eles transpareciam e exalavam amor... nunca vi cristãos como aqueles...
Desde que voltei dessa viagem comecei a estudar e procurar avidamente por materiais sobre avivamento. Pude acompanhar os avivamentos de Pensacola, Toronto, Colômbia, entre outros, e cada vez mais crescia a fome e sede por ver este mover aqui no Brasil. Desde que tive esta experiência me sinto um ‘inconformado espiritual’ porque sei e experimentei na pele que existe mais. Acredito hoje que avivamento é a vontade de Deus para a nossa nação. Que o Senhor nos consuma com fogo ardente e com um único e sincero clamor: “aviva-nos hoje!”.

Renovação X Avivamento


Tenho ouvido inúmeros pastores e pregadores falarem sobre avivamento. A minha pergunta é se realmente nós entendemos o que isto quer dizer. Em primeiro lugar, avivamento não é renovação. A própria origem etimológica nos dá a dica. Renovação é tornar algo novo, enquanto avivamento é tornar algo vivo. Renovação é uma experiência que devemos buscar diariamente, é o experimentar uma brisa fresca, um refrigério. Muitas vezes a renovação traz de volta os dons perdidos/esquecidos, um novo desejo de servir ao senhor, mas, basicamente, é renovar, ou seja, trazer ‘novidade’ ao que um dia já havia experimentado.

Avivamento é outra coisa. Para se clamar verdadeiramente por avivamento, antes de tudo, o que ora deve se considerar como ‘morto’. Devemos nos humilhar ao ponto de reconhecer nossos pecados, chorar por nossa negligência, suplicar o perdão pela nossa apatia, devemos a tal ponto orar que, verdadeiramente, nos sentimos uns ‘mortos indignos’. E assim, depois de clamar por misericórdia e perdão, depois de suplicar clemência por nosso estado de ‘morte’, então também começamos a clamar misericórdia por nossos familiares, vizinhos, igreja, cidade e nação... Entende agora a profundidade do ‘negócio’? Não se trata de falar em línguas, ainda que os dons se manifestem nos avivamentos. Não se trata de curas, ainda que estas sejam freqüentes nos avivamentos. Não se trata das manifestações do Espírito, ainda que avivamento seja quando Ele toma a frente da situação.

Avivamento é literalmente um furacão espiritual. É quando milhares e milhares se rendem arrependidos por seus pecados, muitas vezes sem que sequer alguém tenha feito um sermão. É quando os dons, curas e sinais se manifestam sem que exista um renomado avivalista no púlpito. É a pura e simples ação do Todo-Poderoso. Alguém certa vez disse que avivamento é quando Deus se cansa de ser mal representado e decide simplesmente... aparecer! Que possamos buscar a renovação, sempre. E que um dia, quem sabe um dia, sejamos levados a interceder a ponto de não nos importarmos mais se é dia ou noite, se comemos ou não, se o avivamento virá aqui ou ali, mas que sinceramente desejemos que ele venha. Foi isso o que fez Edward Miller ao clamar pela Argentina, Joseph W. Smith ao chorar pela sua geração e tantos outros servos que marcaram a história, não com a fama ou lindos sermões, mas com um coração rendido e comprometido em trazer o avivamento, ainda que trabalhassem nos ‘bastidores’. Um desses homens um dia orou: “Senhor, me dê a Escócia, ou senão eu morro...”. Ele não estava brincando...

Ainda sobre o avivamento da Rua Azuza...



Naquele tempo alguns irmãos tiveram a excelente idéia de iniciar um jornal com a finalidade de divulgar o avivamento. Este jornal, o Apostolic Faith (Fé Apostólica), imortalizou artigos, testemunhos e matérias incríveis sobre os sinais, maravilhas e experiências maravilhosas com o precioso Espírito Santo naqueles dias. Abaixo, reproduzo um artigo traduzido que foi publicado em novembro de 1906.

Assim que é anunciado que o altar está aberto para as pessoas que estão buscando perdão, santificação, ou batismo com o Espírito Santo e cura do corpo, as pessoas sobem e se reúnem no altar. Não há nenhuma compulsão. Que tipo de pregação é esta que as traz? É somente a simples declaração da Palavra de Deus. Há tal poder na pregação da Palavra pelo Espírito que as pessoas são abaladas nos bancos. Vindo ao altar, muitos caem prostrados debaixo do poder de Deus, e freqüentemente saem falando em línguas. Às vezes o poder cai nas pessoas e eles são tocados pelo Espírito durante os testemunhos ou a pregação e recebem experiências bíblicas. As reuniões dos testemunhos que precedem a pregação, freqüentemente continuam para duas horas ou mais e as pessoas seguem esperando de pé para testemunhar o tempo todo. Aqueles que receberam o batismo com o Espírito Santo testemunham que eles tiveram uma evidência clara de santificação. Centenas testemunham que receberam a evidência bíblica de falar numa língua nova que eles nunca souberam antes. Alguns receberam o "dom de línguas" ou "a variedade de línguas" e suas interpretações. As demonstrações não são as de gritar, bater palmas ou pular tão freqüentemente vistas em algumas reuniões. Ocorrem tremores como os Quacres tiveram e o que os Metodistas antigos chamavam de "espasmos". É enquanto debaixo do poder do Espírito que você vê mãos levantadas e ouve o falar em línguas. Enquanto uma pessoa canta uma canção aprendida do céu com seu rosto brilhando, as lágrimas estão gotejando em outros rostos. Muitos recebem o Espírito pela imposição de mãos, como receberam de Paulo em Éfeso. Pequenas crianças de oito a doze anos se levantam no banco do altar e testemunham o batismo com o Espírito Santo. Nas reuniões das crianças menores crianças de colo se abaixam e buscam ao Senhor.
-- Novembro de 1906

Avivamento da Rua Azuza em 1906


Não estou certo se muitos de nós estamos familiarizados com o que aconteceu em 1906 na Rua Azuza, em Los Angeles. Joseph W. Seymour era um pastor negro da Convenção Batista e, depois de ter experimentado o batismo com o Espírito Santo e começar a “falar em outras línguas” (glossolalia), acabou sendo expulso dessa Convenção. Acabou sendo muito discriminado por sua cor e suas convicções, mas seu desejo era um só, experimentar o pentecostes em seu tempo. Para isso começou a orar e clamar por um derramamento especial, passando cinco, por vezes sete horas em oração. Com a finalidade de reunirem-se em oração e terem mais liberdade e, convictos dos propósitos do Senhor, juntamente com alguns poucos irmãos, alugou um antigo estábulo/depósito que estava abandonado na Rua Azuza, em Los Angeles. Dia após dia este irmão orava reclinado com as mãos no rosto e sobre algumas caixas de sapato esquecidas, esperando no Senhor. E Deus o ouviu. O avivamento veio em meados de 1906 como um verdadeiro tornado dos céus. O que aconteceu naqueles dias ficou conhecido com o início do pentecostalismo moderno. Para se ter uma idéia da influência dessa manifestação celestial, alguns irmãos suecos participaram de algumas reuniões na Rua Azuza e foram tremendamente impactados, sendo tocados pelo Espírito a começarem um trabalho missionário no norte do Brasil. Surgia então a igreja Assembléia de Deus. Acredita-se que, dos aproximadamente 650 milhões de protestantes que existem hoje no mundo, quase 600 milhões pertencem a igrejas que são de linha carismática/pentecostal ou que tiveram suas origens ligado ao que aconteceu em Los Angeles. Tremendo. O que será que o Senhor pode fazer de você e de mim, se pagarmos o preço... Aviva-nos, Senhor...

Objetivo do blog

Decidi criar esse blog com uma finalidade sinceramente simples. Este não é um blog poético, literário, ou que trate profundamente de assuntos teológicos. Eu quero simplesmente compartilhar com as pessoas, independente de sua orientação denominacional/religiosa, sobre a nossa urgente, desesperada e quase sempre ignorada necessidade de Deus e de seu avivamento em nossa geração.
A minha oração é a de Habacuque:

“Eu ouvi, Senhor, a tua fama, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos; faze que ela seja conhecida no meio dos anos...”.